Blog

Ainda no controle de ponto manual? Saia dessa!

Publicado em: 06-07-2018
relógio de ponto manual

O controle de ponto manual foi a primeira forma encontrada de manter a jornada de trabalho dos colaboradores sob supervisão da empresa. Fácil de ser implementado, o relógio de ponto manual foi amplamente utilizado nas fábricas do século final do século XIX e durante um bom tempo no século XX.

Também conhecido como relógio de ponto cartográfico, esse mecanismo exigia que os profissionais fizessem fila em frente a uma pequena máquina que marcava dia e hora do registro, de forma mecânica. Ao final do mês, cabia ao setor de RH recolher todos os cartões, transferir os dados para um sistema ou planilha de controle e então fazer a contabilização de horas trabalhadas de cada funcionário.

Essa é a rotina da sua empresa ainda hoje? Saia dessa e conheça as opções que o século XXI traz para você!

Por que abolir o relógio de ponto manual?

Converse com sua equipe de recursos humanos e pergunte quantas horas por mês são dedicadas ao controle de ponto manual. Cada cartão ponto manual tem, em média, 22 registros que devem ser transferidos para outra plataforma, a fim de serem contabilizados da forma correta.

Digamos que cada dia de registro consuma 1 minuto da jornada de trabalho. Cada cartão ponto manual leva 22 minutos para ser digitalizado. Tendo 10 funcionários, são perdidas cerca de 4 horas mensais para concluir a atividade.

Usando o mesmo método para 100 colaboradores, você teria 400 horas de trabalho desperdiçadas em trabalho braçal, nada estratégico para a sua organização.

>>Quer tornar seu RH estratégico? Acesse este post!

Agora coloquemos isso em reais: digamos que, entre salário, benefícios e encargos trabalhistas, você invista R$ 5 mil reais mensais para manter um colaborador no setor de RH. Essa pessoa trabalha cerca de 198 horas mensais, o que custa, para a sua empresa, R$ 25,25 por hora trabalhada.

Com 100 colaboradores, sua empresa gastaria R$ 10.101,00 só em fechamento de ponto. Viu como calcular cartão de ponto manual custa caro?

As alternativas mais interessantes ao cartão ponto manual

Já faz bastante tempo que o controle de ponto manual deixou ser a única opção das empresas. As tecnologias da informação e comunicação, apoiadas pela microeletrônica, trouxeram a possibilidade de informatizar esse processo e torná-lo mais ágil e eficiente.

Com a publicação da Portaria 1510 do MTE, uma nova revolução aconteceu no controle de ponto, passando a ser exigido o controle de ponto eletrônico, que impossibilita a adulteração dos registros.

Os chamados REP – Registradores Eletrônicos de Ponto, bem como os SREP – Sistemas de Registro Eletrônico de Ponto surgiram no mercado. E por pelo menos uma década foram a melhor opção para quem busca automatizar o controle de ponto da empresa e evitar aquele prejuízo que acabamos de apresentar no tópico anterior.

Mas, de novo, as coisas mudaram e se tornam mais simples. Com um aplicativo de controle de ponto você substitui facilmente o controle de ponto manual da sua empresa, sem a necessidade de grandes investimentos em aquisição de tecnologias.

Basta acessar a plataforma online, cadastrar sua empresa, registrar seus colaboradores e ensiná-los a baixar e utilizar o app de controle de ponto, que fica disponível em seus próprios smartphones e tablets.

Todos os registros são enviados diretamente para o seu sistema de gestão, a partir do qual é possível gerar relatórios parciais e completos do controle de ponto de cada colaborador.

Ficou curioso para saber mais a respeito do aplicativo de controle de ponto que vai substituir seu controle de ponto manual? Faça um teste gratuito do Tangerino e comprove como a tecnologia pode facilitar a vida da sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça o cadastro simplificado e comece a usar agora!